sábado, 22 de agosto de 2009

Satan Panonski - Nuklearne Olimpijske Igre (1990)

"Satan Panonnian is Catcher II, by the age, second of three sons, of anarchist Nikola Culjak, who is guilty, my dear father, of me being Satan Panonnian. Satan is like reumatism, when drawn into the bones (of rock'n'roll) it can never come out. I am proud of all truth that you are about to listen, or are listening..." (Ivica Culjak)

Ivica Culjak, também conhecido por Kecer II (Catcher II) ou Satan Panonski ("Satã Panoniano" ou "Satã da Panônia", região da Europa central), foi umas das figuras mais singulares do underground europeu. O carismático e controverso vocalista (também um ativo poeta e pintor), assumidamente homossexual, ficou conhecido por suas autodestrutivas e antológicas performances (tal qual um GG Allin croata) e pelos bizarros fatos de sua vida fora dos palcos; Dois fatores que, unidos às escassas informações sobre o artista, e sua música, experimental, primitiva e crua, contribuíram para que o mesmo ganhasse status de lenda cult na cena punk dos Bálcãs.

Nascido em Vinkovci (ao leste da Slavônia, área pertencente à ex-Yugoslávia, atual Croácia - "... first of all a town of phantoms, terrorists, anarchists, junkies, homosexuals, lesbians, a city of desinformation, controverse, absurd, paradox; A town of 40,000 inhibitants, a city which is rightfully named: 'Chicago of Yugoslavia'..." - nas palavras do próprio), Ivica interessou-se pelo punk na adolescência, após uma viagem à Alemanha. No início da década de 80, enquanto era vocalista da banda Pogreb X (Funeral X), foi condenado à prisão por ter assassinado (alegando legítima defesa) um homem da Máfia local em uma briga. Durante seu julgamento, alegou insanidade (não se sabe se o fato era real ou pura invenção para se safar da cadeia). Assim sendo, foi transferido para um manicômio (adquirindo o hábito da pintura e escrita de poemas), aonde permaneceu até aproximadamente o começo da década de 90, quando foi solto, junto de vários outros criminosos, pela anistia assinada pelo primero presidente croata, Franjo Tuđman.

Após ser solto, Ivica, um
punk herege e anti-nacionalista (segundo sua própria definição), alista-se na Guarda Nacional Croata (futuro Exército Croata). Sua decisão, no mínimo contraditória, foi explicada em 1991, em uma de suas poucas apresentações durante essa época, em uma fita chamada "Kako je panker branio Hrvatsku" ("Como um punk defendeu a Croácia"), e morreu como soldado, sob circunstâncias desconhecidas, no começo de 1992. Os fatos acerca de sua morte, assim como os de sua vida, são envoltos em mistérios e versões não-oficiais: uns dizem que seu rifle disparou acidentalmente, atingindo-o fatalmente na cabeça; Outros dizem que Ivica foi morto pelos seus próprios camaradas de exército, em uma emboscada.

O único LP solo de
Satan Panonski, Nuklearne Olimpijske Igre ("Jogos Olímpicos Nucleares"), não é um álbum para qualquer um. Se você está habituado ao “punk” de bandas como NOFX e Offspring, passe longe deste disco. As 24 faixas, mal-gravadas e todas cantadas em croata, possuem uma audição difícil, petulante. Um blues pós-apocalíptico liderado por um bizarro crooner. O instrumental: agressividade punk e cacofonia experimental. Uma torrente caótica composta por ruídos, bateria primitiva, baixo e guitarra (que, em algumas faixas, dá lugar a dois baixos distorcidos), que casa perfeitamente com um perturbado Ivica, que vomita seu vocal torturado e agressivo em letras (com esforço, encontradas em inglês na Internet) que se alternam entre o real e o onírico, possuindo como tema central seus devaneios mentais, sua própria mãe, sexualidade (ou sexo, propriamente dito), autodestruição e a realidade distorcida de um ambiente sujo, devastado e sem esperanças de uma terra sem leis, tomada pelo caos político e guerras civis. Mesmo sem entender uma palavra dita, a sensação causada (como li em uma das raras resenhas de seu material) é sempre a mesma: “images of frustrated cats trying to escape from cloth bags sinking into icy water” - Essa é a vívida imagem causada pela audição deste disco.

Recomendado aos que apreciam spoken word, punk finlandês, Crass e a barulheira infernal dos primeiros discos do Einstürzende Neubauten.
1. Hard Blood Shock
2. Cegevara
3. Pioniri Maleni
4. Ratno Stanje
5. Kamikaza
6. Odrezite Sise
7. Djecakova Pjesma
8. Oci U Magli
9. DM
10. Iza Zida
11. Tiho Bajka
12. Beduin
13. Slavica
14. Advocat
15. Trpi Kurvo
16. Sexualni Distonaliet
17. Caj od Maka
18. Kiss my Cock
19. Odrezi, Narezi, Zarezi
20. Misli Ii Istok
21. Kliktaj
22. Lepi Mario
23. Obdukcija
24. Pokolj

Um comentário:

  1. Link inválido, nesse blog aqui ainda ta disponível, aproveitem crianças:

    http://audioheaven-alexcro.blogspot.com/2008/02/satan-panonski-cro-nuklearne-olimpijske.html

    ResponderExcluir